Reunião com os secretários Juvir Costella e Bruno Vanuzzi sobre as RS 122, 453 e 446.

Na terça-feira, 28/01, por iniciativa da CICS SERRA, reuniram-se na Secretaria dos Transportes juntamente com os Secretários Juvir Costella e Bruno Vanuzzi, Edson Vinicius Morello, Ademar Petry, Elton Paulo Gialdi, Daniel Bampi e Rogério Capoani da CICS Serra, Mônica Mattia do Corede Serra, Rogério Rodrigues do MobiCaxias, Gelson Dalberto e Delmar Perizzolo da Cic Caxias do Sul.
Dando início a reunião, Morello, relatou a sua preocupação com as condições das RS 446, RS 453 e RS 122 aonde foi enfático nas suas colocações e pediu o que de fato podemos informar a sociedade que muito nos cobra por providencias, e principalmente sobre p assunto concessões.
O Secretário de Assuntos Extraordinários, Bruno Vanuzzi, informou que o local mais apropriado devido aos dados já existentes para a colocação de uma praça de pedágio seria entre os municípios de Bom Princípio e São Vendelino, pois o VDM – volume maior de veículos seria neste trecho, segundo os dados do DAER de 2017, que apontam 11.000 veículos de passeio, 2.000 veículos pesados e 449 coletivos por dia.
O que parece impensável desenhar um modelo de concessão rodoviário que não contempla a duplicação integral de Caxias do Sul até Porto Alegre, incluindo Canoas que faz parte deste tripé econômico do Rio Grande do Sul.
Informou que a prioridade é esta, mas que precisa verificar o que precisa de melhorias na RS 446 e RS 453, pois se falarmos em duplicação não daremos conta.
Nesta semana deve acontecer a homologação da licitação do BNDES, aonde a secretaria está analisando e trabalhando diariamente segundo as diretrizes da secretaria dos transportes e o Governador Eduardo Leite, para que na semana que vem seja assinado o contrato, e aí iniciam o trabalham com os técnicos para identificar os desafios, e um deles é a experiência que tivemos entre Caxias do Sul e Farroupilha que não foi nada agradável.
O DAER fez um levantamento e de fato a rodovia está sucateada, o que hoje isso gera um valor muito alto, mas vamos buscar o melhor resultado possível com o menor pedágio. Existem várias formas de fazer isso, inclusive estamos discutindo o modelo de licitações, que hoje a nossa legislação prevê licitação por menor alíquota.
Falou também das análises que necessitam que sejam feitas nas rodovias para que sejam avaliados os custos, pois tudo necessita ser verificado.a terça-feira, 28/01, por iniciativa da CICS SERRA, reuniram-se na Secretaria dos Transportes juntamente com os Secretários Juvir Costella e Bruno Vanuzzi, Edson Vinicius Morello, Ademar Petry, Elton Paulo Gialdi, Daniel Bampi e Rogério Capoani da CICS Serra, Mônica Mattia do Corede Serra, Rogério Rodrigues do MobiCaxias, Gelson Dalberto e Delmar Perizzolo da Cic Caxias do Sul.

Dando início a reunião, Morello, relatou a sua preocupação com as condições das RS 446, RS 453 e RS 122 aonde foi enfático nas suas colocações e pediu o que de fato podemos informar a sociedade que muito nos cobra por providencias, e principalmente sobre p assunto concessões.

O Secretário de Assuntos Extraordinários, Bruno Vanuzzi, informou que o local mais apropriado devido aos dados já existentes para a colocação de uma praça de pedágio seria entre os municípios de Bom Princípio e São Vendelino, pois o VDM – volume maior de veículos seria neste trecho, segundo os dados do DAER de 2017, que apontam 11.000 veículos de passeio, 2.000 veículos pesados e 449 coletivos por dia. 

 

O que parece impensável desenhar um modelo de concessão rodoviário que não contempla a duplicação integral de Caxias do Sul até Porto Alegre, incluindo Canoas que faz parte deste tripé econômico do Rio Grande do Sul.
Informou que a prioridade é esta, mas que precisa verificar o que precisa de melhorias na RS 446 e RS 453, pois se falarmos em duplicação não daremos conta.
Nesta semana deve acontecer a homologação da licitação do BNDES, aonde a secretaria está analisando e trabalhando diariamente segundo as diretrizes da secretaria dos transportes e o Governador Eduardo Leite, para que na semana que vem seja assinado o contrato, e aí iniciam o trabalham com os técnicos para identificar os desafios, e um deles é a experiência que tivemos entre Caxias do Sul e Farroupilha que não foi nada agradável.
O DAER fez um levantamento e de fato a rodovia está sucateada, o que hoje isso gera um valor muito alto, mas vamos buscar o melhor resultado possível com o menor pedágio. Existem várias formas de fazer isso, inclusive estamos discutindo o modelo de licitações, que hoje a nossa legislação prevê licitação por menor alíquota.
Falou também das análises que necessitam que sejam feitas nas rodovias para que sejam avaliados os custos, pois tudo necessita ser verificado.
E que a participação das entidades é necessária desde o início para quando chegar no modelo que vá para a audiência pública esteja bem entendido, pois não existe escolha fácil porque sempre alguma acaba acarretando algum tipo de impacto, e nós precisamos agradar o maior número de pessoas trazendo mais conforto, segurança e desenvolvimento econômico com uma tarifa que a comunidade consiga pagar.
O Secretário dos Transportes, Juvir Costella, relatou que sobre a RS 122 haverá um estudo, pois a mesma ficou bloqueada por 43 dias, e há outros setores da RS que correm risco de novos deslizamentos.
Sobre a Rota do Sol se as pedras forem retiradas, o restante irá cair também, pois já foi avaliado pelos técnicos. Mas já foi contratada a empresa que fará a remoção de forma adequada para não haver riscos.
Questionado com relação a demanda sobre as duplicações em todas as estradas, Vanuzzi falou que duplicação é uma escolha financeira e de engenharia, pois não é a nossa vontade que gera duplicação, mas sim números e estudo de engenharia.
Sobre os 15km da São Vendelino que são usados diariamente por uma infinidade de cidades que vão a Capital, estamos conscientes de que é necessária a duplicação, pois usamos diariamente.
Indagado sobre o contrato com BNDES se contemplaria além da RS 122, a manutenção da RS 446 e a RS 453, Vanuzzi informou que sim, que todas estão no contrato. E que o seu compromisso como técnico é fazer um projeto sustentável.
Vanuzzi convidou a CICS Serra para participar da comissão técnica e da reunião com o BNDES. Também foi solicitado que se a CICS Serra quiser ceder um técnico para ficar permanente na secretaria será bem-vindo.
Será agendada uma reunião na Serra para dar continuidade ao assunto, a qual será informada nos próximos dias.

Vanessa Flaiban
MTB 17593/RS